Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Faz da tua vida a tua inspiração!

... Blogger, coach, palestrante, autora, contadora de histórias, formadora e uma apaixonada pela vida ...

... Blogger, coach, palestrante, autora, contadora de histórias, formadora e uma apaixonada pela vida ...

Conhece-te, aceita-te, procura menos e encontra-te mais!

01.01.18, Marta Leal
Gosto sempre de recomeços. Tenho uma facilidade especial em largar o velho e agarrar o que vem de novo. Gosto do inicio de um ano, de um mês, de uma estação, de uma relação, de um projeto ou mesmo de uma vida. A mudança faz parte de mim e a permanência tem em mim um efeito redutor. Gosto da novidade, da criatividade e de toda a diversidade que o mundo nos pode dar.   Isto não significa que não entenda o oposto. Não significa que não entenda quem goste de se manter, quem (...)

Existem amores que não são para sempre

21.06.17, Marta Leal
  Acreditei desde cedo no Amor. Mas não no amor comum que via à minha volta. E quando falo de comum refiro-me ao amor do namoram, casam, têm filhos, educam os filhos e envelhecem juntos mesmo que não dirijam a palavra um ao outro. Nunca acreditei nesse amor. Para falar verdade acredito que muitos desses relacionamentos não são feitos de amor. São feitos de tudo menos de amor. São feitos de deveres sociais ou hábitos de uma comunidade que assim o exige, mas muitos deles não são (...)

Para os que ficam à espera do depois!

11.06.17, Marta Leal
    "Há quem fique sempre à espera do depois, não é?" escreveu-me ela. Infelizmente sim, minha querida, existem aqueles que esperam sempre pelo depois. Depois do verão, depois dos filhos crescerem, depois de pagarem o carro, depois de pagarem a casa, depois dos filhos saírem de casa, depois de se sentirem melhor, depois, depois, depois.   E é exactamente nesse depois que nos perdemos de nós. Para ser mais exacta não nos perdemos apenas de nós perdemos-nos de quem somos e (...)

Neste Olimpo terreno reinam demasiados deuses

25.02.16, Marta Leal
    Saber o que é melhor para os outros é para a maioria de nós muito fácil. São raros aqueles que não têm opinião para dar ou mesmo uma advertência para fazer. Saber o que é melhor para os outros é fácil. Demasiado fácil. Mas o que me leva a pensar que sei o que é melhor para o outro? O que me leva a pensar que a minha decisão sobre a (...)