Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Faz da tua vida a tua inspiração!

... Blogger, coach, palestrante, autora, contadora de histórias, formadora e uma apaixonada pela vida ...

Faz da tua vida a tua inspiração!

... Blogger, coach, palestrante, autora, contadora de histórias, formadora e uma apaixonada pela vida ...

Quando o amor nos esgota

23.08.18, Marta Leal

cute-couple-piggypack_373x.progressive.jpg

 

 

#quandooamornosesgota

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

 “O amor esgotou-me” disse-me ela ainda nem sequer se tinha sentado. Vinha acelerada, nervosa, lágrimas nos olhos e gestos de quem está pouca aberta ao mundo. Falou. Falou dele e dela, falou do último ano, do que tinha corrido mal, das exigências, das cobranças, falou da responsabilidade de cada um. Culpou pouco e culpou-se menos ainda. Falou do que fez para que tudo desse certo. Falou da relação, mas falou muito pouco de amor. É quase como se não quisesse falar dele.

 

Nas suas palavras foram esquecidos a razão pela qual se apaixonou, os momentos bons, o que tinham em comum e todos os planos que tinham feito em conjunto. Foram, também, esquecidas as borboletas no estômago, as mãos a transpirar e o olhar sobre a vida de um ser apaixonado. Quando um amor termina são poucos os que agradecem o terem vivido esse amor, mas são muitos aqueles que o amaldiçoam.  Amaldiçoar um amor vivido é amaldiçoar um pedaço de ti. É renegares quem foste em determinado momento e quem se renega não avança.

 

O amor que nos esgota é aquele tipo de amor que não nos permite ser. É o que nos exige abdicar de nós a favor do bem da relação. É o que nos vai fazendo calar, ter medo de falar, contar ou mesmo partilhar. É aquele que faz com que aquela pessoa que somos vá sendo substituída por outra que achamos que devemos ser.  O amor que nos esgota vive no medo da perda enquanto o amor verdadeiro vive na plenitude do ganho.

 

O amor que nos esgota é aquele que nos suga a alma e nos faz doer o coração. É o que nos exige a essência em troca do bem-estar do outro.  O amor que nos esgota não é amor é tudo menos amor!  E quando vivemos um não amor com o outro significa que não nos amamos e nos respeitamos muito pouco. Abdicar da nossa essência pelo outro é abdicar da nossa vida. Só se esgota no amor quem não se ama de verdade, quem foge de si para se realizar no outro.

 

As pessoas só deviam dedicar-se ao amor depois de se dedicarem a si! Queres viver um amor que não te esgote? Começa por ti, começa sempre por ti!

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação