Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Faz da tua vida a tua inspiração!

... Blogger, coach, palestrante, autora, contadora de histórias, formadora e uma apaixonada pela vida ...

Faz da tua vida a tua inspiração!

... Blogger, coach, palestrante, autora, contadora de histórias, formadora e uma apaixonada pela vida ...

A filha do meio faz anos

20.02.21, Marta Leal
Estávamos no ano de 1998, eu tinha 28 anos e fui mãe pela segunda vez. Engordei cerca de 20 quilos, as últimas semanas só dormia confortável numa poltrona, e depois das contrações começarem ainda tive de tomar banho porque uma mulher tem de estar sempre apresentável. A Mafalda nasceu com 4,300 kg, e eu tive uma complicação pós-parto. Valeram-me uma equipa fantástica na Alfredo da Costa, e a certeza de que ainda tinha muita coisa para fazer nesta vida. Nunca tinha tido o sonho (...)

Não é hora de termos medo

18.02.21, Marta Leal
- Aí … Marta, ando com tanto medo de pessoas – disse-me ela, mal ligámos a câmara - Não devia – disse-lhe eu com aquela minha forma tão característica de comunicar. Esta sessão levou-me a pensar que de facto vivemos uma época em que empoderamos o medo em detrimento do cuidado com o outro. Empoderamos receios, incertezas, posturas de fuga, olhares fugidio, passadas rápidas, caras fechadas, quando devíamos empoderar cuidados, atenção, compreensão, sorrisos e aproximação (...)

Acreditar

17.02.21, Marta Leal
Falava sobre a eutanásia com ele. Chegámos à conclusão de que ambos defendemos o direto à escolha em caso de ficarmos ligados a uma máquina. - Não quero ficar a dar trabalho a ninguém – disse ele. - Eu cá, quero-me despachar para voltar noutra vida – disse-lhe eu. E foi aqui que a expressão dele foi impagável. Foi daqueles momentos em que gostava de ter tirado foto para mais tarde recordar. Interessante como ainda não tínhamos falado sobre este assunto. Ele acredita que a (...)

Estamos a perder a esperança!

16.02.21, Marta Leal
Ele está fora do país a trabalhar. Eu mantenho-me por aqui não ao ritmo que me é característico, mas ao ritmo que me tem sido permitido. O que nos une para além do que sentimos um pelo outro são os planos, as vontades, as gargalhadas, os momentos, o desejo, aquele viver tão nosso quando estamos juntos, e o facto de olharmos na mesma direção. Há dias tive consciência de que os planos desaceleraram, tornaram-se mais cuidadosos, quase como se estivéssemos em suspenso, e foi (...)

Em nome da democracia

07.12.20, Marta Leal
Há muito que evito ler comentários a notícias sejam elas quais forem uma vez que, nos dias que correm, tudo é motivo para polémica, maledicência e maldade gratuita. De vez enquanto lá caio eu na tentação e as entranhas revoltam-se tal é a intensidade da raiva, da maldade, da ofensa e tudo em nome de um “vivemos numa democracia e somos livres de dizer o que pensamos”. Uns dirão que o melhor é não ligarmos, que as pessoas são assim e que a atitude certa é vivermos a nossa (...)

Bom Novembro!

01.11.20, Marta Leal
  É, cada vez mais, urgente que olhemos e cuidemos do outro. Os tempos que vivemos assim o demonstram, mas insistimos em guerras quando devíamos insistir em compreensão, cuidado e amor. Aproximamo-nos do que nos é simpático e afastamo-nos do que nos incomoda. Sentimo-nos atraídos pela beleza das formas sem qualquer análise de conteúdo. Permitimo-nos embriagarmo-nos pelas cores, texturas, cheiros e silhuetas. Embriagamo-nos num contexto leve sem nos permitirmos ir mais longe. Fala (...)

2020 tem de ser recordado para sempre

26.10.20, Marta Leal
A dois meses do Natal tenho ouvido muitas pessoas a dizerem que querem que o ano passe rápido para se esquecerem que ele existiu. Eu penso exatamente o contrário. Se há coisa que não quero esquecer é este ano. Apesar de ter sido um ano de perdas sejam elas de pessoas, de liberdade, de abraços, de concretizações, também foi um ano de desacelerar, de muita reflexão, de escolha de caminhos, de quebra de paradigmas, de muita aprendizagem, e de alguns encontros que me fazem sorrir e (...)

Tempos difíceis!

17.10.20, Marta Leal
Fazem-me falta sorrisos, abraços, e momentos únicos que só os afetos nos fazem sentir. Faz-me falta a espontaneidade dos encontros, das salas de formação, e dos abraços sentidos. Faz-me falta a presença daqueles que fazem parte da minha vida de forma autêntica sem qualquer condicionamento. Mas o fazer-me falta não impede que continue a acreditar num mundo melhor, e que um dia tudo isto vai passar. Recuso-me a ficar à espera que as circunstâncias mudem. A vida ensinou-me que (...)

Aproveita a maré

01.10.20, Marta Leal
- Estou cansada de lutar contra a maré - disse eu - E se te sentasses à espera que a maré mude? - respondeu-me ele Esta conversa foi há mais quinze anos, e durante uns tempos acreditei que a solução era mesma essa. Sentar-me e esperar que a maré mudasse para poder fazer o caminho que tinha definido. Não sabia que o caminho que tinha definido podia não ser o meu caminho.  Não sabia sequer que existiam tantos outros caminhos para chegar onde queria chegar. No entanto, há um (...)

Vão-se lixar!

21.09.20, Marta Leal
Ora vamos falar de um tema que está no tema do dia, que nunca pensei ser possível que algum dia estivesse: o aborto e a proposta de um dos partidos de retirar os ovários a mulheres que recorram ao mesmo através da Segurança Social para a qual todos contribuímos. Não percebi bem se esta proposta é só para aquelas que recorrem ao serviço nacional de saúde para o fazerem ou se também seria para quem recorre às clínicas privadas para o fazer. Porque se não for já temos uma (...)