Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amor Próprio

... Blogger, coach, palestrante, autora, contadora de histórias, formadora e uma apaixonada pela vida ...

Amor Próprio

02
Dez18

Organiza-te no Amor

Marta Leal

 

Livro.jpg

 

#Organiza-tenoamor

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

 

“Um dia perguntei a um grande amigo que livro deveria escrever. “Escreve com o coração” respondeu-me ele, de forma sucinta. Foi justamente essa resposta que me fez compreender que em vez de andar preocupada com aquilo que os outros pudessem querer que eu escrevesse eu deveria sentir aquilo que me apetecia escrever. Escrever para mim e não para os outros! Cheguei à conclusão de que, mais do que escrever com o coração, deveria escrever de coração para coração”

 

Danço entre um pensamento lógico e um sentir intuitivo. Talvez por isso goste tanto de resultados, mas também de histórias de encantar. Sejam elas reais ou imaginárias. Nem sempre sigo aquilo que é esperado e muito menos aquilo que é imposto. Gosto das coisas simples ou não fosse eu uma mulher prática.

 

Este livro é o resultado de um eu na relação com os outros e na relação com os livros. É a concretização de um sonho onde a história se mistura com a realidade e os finais são aqueles que escolhemos.

 

Uma história, duas personagens e muitas perguntas que o poderão levar a tomadas de consciência e a viver o amor de forma diferente. Um olhar simples e prático sobre um tema que insistimos em complicar.

 

Para encomendas: martaleal@outlook.pt

 

✔️ FB 👉 https://www.facebook.com/martalealdesenvolvimentopessoal/
✔️ Site 👉 www.martaleal.pt
✔️ Email 👉 martaleal@outlook.pt

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

01
Dez18

Olá, Dezembro!

Marta Leal

47106530_1931539590276982_1656893899127390208_n.jp

 

#Dezembro

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

“E, já agora vê se de desta vez acertas e não te esqueces do que te pedi. Santa paciência todos os dias a mesma coisa e tu pareces que não me ouve. Não ouves ou não queres ouvir – resmungou Maria. Mulher possante, ar carrancudo e gestos apressados.

 

António fechou a porta atrás de si, mas ainda se apercebeu que a sua mulher continuava a falar. Sentia-se cansado de tanta lamúria, tanta cobrança e tanta humilhação. Sentia saudades de uma palavra de incentivo, de uma palavra de carinho ou mesmo de uma simples conversa onde não existissem acusações ou desconfianças.

 

 Apaixonara-se por ela ao primeiro olhar. E, o engraçado é que o que o atraiu nela foi o que anos mais tarde destruiu o amor. O ar seguro, a autoconfiança e a capacidade de decisão. O casamento aconteceu rapidamente, fora ela que lhe propôs e ele aceitou sem sequer pensar. Nunca soubera se ela o amara como ele um dia a amou. Ela nunca lho disse ele nunca lhe pediu para dizer

 

Os anos sucederam-se em nascimentos de filhos, trocas de fraldas, escolas, trabalhos de casa e outro sem numero de atividades. O diálogo desapareceu com os anos. Os sonhos de ambos foram esquecidos. Os objetivos comuns perderam-se no reflexo do que pretendiam para os filhos. As discussões aumentavam ou melhor os monólogos porque António já nem sequer respondia.

 

Lembrava-se agora da primeira vez em que tentara apimentar o seu casamento. Tinha sido aconselhado pelo seu melhor amigo. Amizade que mantinha em segredo porque Maria não podia sequer ouvir falar nela. Marcou um fim de semana fora e comprou-lhe um ramo de flores. Quando chegou a casa feliz e contente o seu mundo desmoronou-se. Maria não só recusou o fim de semana como também o acusou de ter outra e por isso mesmo a estar a querer mimar. "Deixa-te dessas parvoíces homem que já não tens idade para isso" dissera-lhe ela.

 

 Hoje viva encurralado numa vida que o fazia cada vez mais infeliz. Os filhos não paravam em casa. Maria preocupava-se com tudo menos com o que ele sentia ou mesmo o que ele queria. Por vezes sentia que ela o desprezava. Por vezes sentia que a odiava. Outras vezes pensava que todos deviam viver assim e que tanta duvida era fruto da sua cabeça.

 

Por vezes olhava-a e procurava a mulher por quem o dia se tinha apaixonado. Hoje olhava-a e procurava aquela por quem se anulou. Ela parecia alheia a ele. Vivia demasiado preocupada com a vida dos outros, a vida de casa e tudo o que lhe interessava. Agora que pensava nisso tinha a certeza de que nunca tinha tido uma palavra de incentivo. Uma palavra de ânimo ou mesmo um gesto de carinho.

 

 António era um romântico que criou um mundo dele. A sua imaginação voava para fora de si rumo a outra vida e a outras situações. Sonhava com a partilha, o companheirismo e com a ilusão de um dia poder ser amado. Sonhava cada vez mais com aquilo que sempre lhe fizera falta. Vivia uma vida que não era a sua porque deixara que um dia alguém tomasse conta dela.

 

 Era cada vez mais frequente dar consigo a fazer planos de acabar com aquilo. De como iria fazer, o que diria aos filhos, onde iria viver e o que lhe iria dizer a ela. Visualizava as situações, ensaiava diálogos e enchia-se de coragem. Uma vez ainda tentou, mas ela nem sequer o deixou terminar "olha o velho gaiteiro, andas com alguma debaixo de olho" fora a resposta que obtivera. Nesse dia odiara-a como nunca a tinha odiado. Mas mais uma vez deixou-se ficar. E, todos os dias sempre que saía de casa pensava que nunca mais ia voltar, mas todos os dias lhe faltavam a coragem e a força necessárias. - Um dia vou ser feliz - murmurou ele enquanto descia as escadas do prédio rumo ao carro - um dia vou conseguir.”



E os dias passam transformando-se em semanas, meses e anos. E os dias passam enquanto nos arrastamos esperando que a coragem e a atitude nos batam à porta. Esperar pelo momento certo é condenarmo-nos a uma sobrevivência. Tomar decisões quando sentimos que as temos de tomar é  liderarmos a nossa vida.

 

Estamos em Dezembro! Daquilo que tinhas definido para este ano o que é que concretizaste? E o que é que ficou por fazer?

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

06
Nov18

Dedica-te a ti!

Marta Leal

record-player-1851576__340.jpg

 

#dedicateati

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

Acordo cedo. Passeio as cadelas, na maioria das vezes de pijama escondido por um casaco comprido, limpo a caixa da areia dos gatos enquanto a cozinha é invadida pelo cheio a café. Não sei se já vos confidenciei o quanto gosto do cheiro e do sabor a café de saco. Os dias de hoje contrastam com os de há uns anos atrás onde a correria e as pressas eram uma constante. Quando penso nisso, penso sempre com um sorriso. Penso com um sorriso porque me recordo dos esquecimentos das mochilas, os atrasos, os ténis trocados porque foram calçados à pressa, os cabelos penteados apenas por cima e tantas, mas tantas outras peripécias que preencheram os nossos dias. 

 

Hoje os desafios alteraram-se não só porque as crianças cresceram, mas também porque escolhi ser dona do meu tempo, da minha profissão e de mim mesma. É o três em um onde o objetivo principal é o meu bem-estar e consequentemente o bem-estar de todos aqueles que me rodeiam.

 

De nada vai adiantar fazeres uma mudança se te perderes nela. Confusos? Passo a explicar. Seja qual for a mudança que queiras fazer seja ela de vida, de emprego, financeira, de relacionamentos, de cidade ou mesmo interior se  não fores persistente e consistente nada acontecerá. Dedico diariamente, no mínimo, uma hora para me trabalhar seja numa leitura, numa meditação, num silêncio, num passeio ou numa reflexão. Dedico-me diariamente porque sei que a tendência é esquecermo-nos de nós. Da mesma forma que aquele que venceu a maratona precisa de treinar novamente para que volte a acontecer também nós temos de nos treinar diariamente para nos darmos importância e atenção.

 

Quanto tempo tens dedicado a ti? Quando foi a última vez que te dedicaste a ti?

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

04
Nov18

A importância de agradeceres

Marta Leal

 

thanks-1209247_960_720.jpg

 

 

#pensamosmuitosentimospouco

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

Tenho um hábito enraizado há muitos anos, todas as manhãs reservo uns minutos para escrever o que a minha alma precisa de verbalizar, planear o dia e agradecer. Acredito que é nestas três componentes que está o equilíbrio que me leva à ação e à concretização. Trabalhar a gratidão foi uma surpresa para mim. Estava habituada a agradecer às pessoas, mas num ato muito automático e pouco sentido. Quebrar o paradigma e passar da educação ao sentir fez-me toda a diferença. Fez a diferença com os outros, mas em especial comigo

 

- Não precisas de agradecer, dizia-me ele há uns dias, entre amigos não se agradece!

 

Pois penso exatamente o contrário meu querido. Se falássemos apenas da regra de educação talvez fosse levada a concordar contigo, mas a gratidão é muito mais que isso. A gratidão é sentires-te verdadeiramente consciente daquilo que estás a receber.

 

Mas como podemos treinar a gratidão?

 

  • Através do sorriso: quando sorrimos para alguém é como se lhe estivéssemos a agradecer pelo facto de nos termos cruzado e reconhecido;
  • Valorizando todos os confortos materiais que estão ao nosso alcance. Pode ser um banho quente ou um lenço lavado e tantas outras coisas que tomamos como garantidas no nosso dia-a-dia;
  • Elogiando aqueles que se cruzam consigo e sinta-se grato por poder partilhar com essas pessoas;
  • Aceitando os elogios que lhe fazem e agradeça de coração;
  • Sendo tolerante com aqueles que não conhecem a gratidão. Quem sabe se a sua atitude não os poderá influenciar?

Trabalhar a gratidão torna-te mais consciente do aqui e do agora, de quem és e de tudo aquilo que alcançaste!

Que tenhas uma semana pautada de gratidão!

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

 

 

03
Nov18

Pensamos muito sentimos pouco!

Marta Leal

valentines-day-624440_960_720.jpg

 

#pensamosmuitosentimospouco

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

A maioria de nós nasceu e cresceu em sociedades que valorizam o pensamento sobre o sentimento. Se pensarmos um pouco demonstrar as emoções não é considerado, na maioria dos casos, coisa de pessoa forte ou equilibrada. Chorar é encarado como uma atitude pouco digna e pouco permitida ao sexo masculino. E quando começamos a falar de amor e de amor ao outro a coisa complica. Tomamos decisões apenas com a cabeça depois de analisarmos os prós e os contras. E se eu te dissesse que podes tomar decisões com o coração? Acreditavas?

 

Acredito que te esteja a apetecer dizer o que alguém me dizia há pouco tempo: “deixa-te de "lamechices" porque não é com amor que o mundo se muda”. Lamento meu caro amigo, mas acredito exatamente no contrário. Sem amor o mundo torna-se rígido, desconfiado, cinzento e sério. Perdemos a capacidade de brincar, de sorrir, de saltar de alegria, de chorar de emoção e de fazermos o que o coração nos diz para fazer. Quando nos focamos apenas no pensamento complicamos aquilo que o coração tem tendência a descomplicar.

 

Quando começamos a ouvir, a ver e a decidir com o coração o nosso mundo altera-se e torna-se tão suave que é como se viver fosse efetivamente fácil. Desafio-te. Desafio-te que da próxima vez que alguém te procure para desabafar que ouças e respondas apenas com o coração. Sente em vez de pensares e vais perceber que julgas menos, entendes mais e que o amor faz milagres!

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

02
Nov18

Inspira-te e inspira!

Marta Leal

Inspiração1.jpg

 

#Inspira-te e inspira!

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

Há uma tendência para que alguns dos nossos sonhos fiquem adormecidos em detrimento dos que se apresentam mais prementes. Perdemo-nos no tempo, no desenvolvimento de uma outra ideia, em concretizações que nos fazem sentido e vamo-nos esquecendo de algumas coisas que gostávamos de realizar. Acontece comigo e acontecerá com muitos de vós.

Distraímo-nos constantemente de quem somos, do que queremos concretizar e até do que nos faz sentido na vida. Uma das coisas que me faz muito sentido é inspirar e sentir-me inspirada! Este mês apresento-vos um dos sonhos que resolvi tirar da gaveta: os sacos que inspiram e te inspiram. Podes espreitar os que existem na loja !

Para hoje, sugiro-te que retires um dos teus sonhos da gaveta e comeces a projetar o modo como o podes colocar em ação.

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

01
Nov18

O amor é cego

Marta Leal

Novembro.png

 

 

#oamorécego

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

Conta a história que há muito muito tempo   existia um casal de velhinhos, que não tinha filhos, que moravam numa casa humilde de madeira e que tinham uma vida muito tranquila, alegre e com muito amor. Pode-se dizer que eram muito felizes.

 

Um dia a senhora teve um acidente. Houve um incêndio e as chamas atingiram o seu corpo todo. O marido acordou com os gritos e tentou ajudá-la o melhor que soube, tendo mesmo, ficado, também ele, queimado nos braços.

 

Quando os bombeiros chegaram restava muito pouco da casa. Tinha sido toda consumida pelas chamas. O casal foi transportado para o hospital, mas foi a senhora que cuidados inspirava, pois, o fogo tinha-lhe atingido grande parte do fogo e do rosto.

 

Quando finalmente se puderam ver ela disse-lhe:

 

- Está tudo bem, meu querido? – Sim, respondeu ele, é pena que o fogo tenha atingido a minha visão e que tenha ficado cego. Mas fica tranquila que a tua beleza ficou gravada para sempre no meu coração.

 

- Ainda bem que Deus te tirou a visão, as chamas queimaram-me o rosto e transformaram-me num monstro.

 

Depois de recuperados voltaram para uma nova casa onde o clima de amor continuava instalado. Ela fazia tudo por ele. Ele dizia-lhe diariamente o quanto a amava. E assim viveram mais 20 anos até que a mulher faleceu.

 

No dia do seu funeral, quando todos se despediam apareceu o marido sem bengala e sem óculos escuros. Aproximou-se do caixão, beijou-a no rosto e murmurou: Como és linda meu amor.

 

Um amigo de longa data perguntou-lhe o que se tinha passado, se tinha acontecido um milagre para que tivesse voltado a ver. Foi quando o velho senhor lhe respondeu:

 

- Eu nunca estive cego. Apenas fingi quando a vi toda queimada porque sabia que seria muito duro para ela viver daquela maneira. Foram vinte anos em que vivemos ainda mais felizes e apaixonados.

 

Nenhum amor sobrevive sem dedicação, entrega e certeza!

(autor desconhecido)

Desejo-te um novembro inspirador,

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

25
Out18

AMOR ATRAI AMOR

Marta Leal

 

bride-1837148__340.jpg

 

#amoratraiamor

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

“ E … encontrar o meu príncipe encantado”  escreveu-me ela, em resposta a um trabalho que lhes sugeri fazer depois de termos terminado o curso.

 

Devo confessar que gosto quando me dizem isto. Gosto de perceber que as pessoas sonham e acreditam naquilo que sonham.  Gosto quando o encontrar o amor vem depois de nos termos encontrado a nós. E foi exatamente isto que aconteceu com Maria. Chama-se Maria, mas podia chamar-se outro nome qualquer. Passaram uns meses e voltámo-nos a encontrar noutra formação. Notei-lhe um brilho diferente quer no olhar quer no discurso. Confidenciou-me que tinha atingido o objetivo e que estava feliz. Não precisava de confidenciar porque sentia-se à distância. Quando vivemos em amor espalhamos amor por onde quer que passemos! Quando vivemos em amor contagiamos sorrisos e vontades.

 

- O meu nome é Maria, tenho 57 anos, e namoro com o meu primeiro namorado.

 

A sala encheu-se de sorrisos dignos de ficarem registados para sempre. Podia lamentar não ter registado o momento de forma fotográfica, mas o que interessa é que ficou registado na minha memória. E acredito que na memória de todos os que assistiram! É isto que acontece quando fazemos parte de um todo: a felicidade de um torna-se a felicidade de todos.

 

E da próxima vez que pensares que já e tarde para encontrares o amor lembra-te da Maria. Lembra-te da Maria e de todos os outros que depois de se amarem a si perderam o medo de amar.

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

23
Out18

Vivemos aquilo que decidimos viver

Marta Leal

elderly-woman-1036773__340.jpg

Hoje falo-vos de Maria da Conceição. Mulher de meia idade, divorciada e cuja história de vida se desconhece. Apareceu do nada e acredito que um dia desapareça da mesma forma. Conheci a Maria da Conceição há uns anos. Sei que são poucos, mas não sei quantos serão. Mas escrevia eu que a conheci há uns anos e pouco mudou na vida dela. Mulher sorridente, catita e gestos largos de quem quer abraçar o mundo, foi assim que se apresentou a mim e a todos os moradores da rua dos Silvestres. O que poucos sabem é que raramente se abraça a ela. Que a forma como se esgueira pelas ruas evitando contacto é a mesma forma como se esgueira dela própria recusando-se a conhecer-se.

 

Vive à espera. Vive à espera de melhores dias, de um amante que nunca chega e de um amor próprio que nunca conheceu. O que ela não sabe é que no jogo da vida esperar não vale. Quando se espera é como se não se jogasse é como se déssemos a nossa vez ao outro.  Não sei se ela saberá isto. Não sei sequer se ela tem consciência do ponto onde está. Confessou-me o que vos conto há cerca de um ano. Ia eu rua acima vinha ela rua abaixo. Parou-me. Perguntou-me como estava e, sem que me desse tempo para responder, falou sem parar.  Um encontro fugidio que acredito ter sido único. Confessou-me porque naquele dia as palavras serviram de tábua de salvação.  Poucos conhecem esta realidade, mas muitos sabem que algo está errado naquela mulher de sorriso forçado e gargalhada intensa. Tão intensa que parece pouco real.

 

Passam semanas que não a vejo. Mas ontem vi-a a subir a calçada com passos apressados e olhar esquivo. Noto-lhe um andar mais pesado e um desalento maior. É isto que acontece quando nos limitamos a esperar pela vida. Há quem diga que só fala do lado negativo da vida, que aponta sempre o que está errado e que só vê o lado mau de quem se cruza com ela.  Alguns evitam-na para que não os incomode com as lamurias do costume. Outros criticam-na e vão tecendo histórias à volta de uma vida que lhes é desconhecida.

 

Chama-se Maria da Conceição, mas poder-se-ia chamar outro nome qualquer.  Existem tantos como ela.  Existem tantos outros que de ficar à espera azedam-se-lhes os sonhos, amargam-se-lhes as palavras e tornam-se tudo aquilo que um dia diziam que não queriam ser. Culpam, apontam e responsabilizam-se muito pouco pelos resultados obtidos. Faz parte! Faz parte de uma vida onde se insiste viver na dor e pouco se faz para mudar.

 

E enquanto esperamos por melhores dias, pelo momento ideal, por alguém que não tem coragem para ficar connosco, pelos dias de sol, pelos dias de chuva ou por outra coisa qualquer, a vida passa. E em vez de viveres a vida, arrastas-te pela vida! Lembra-te de construíres uma vida que valha a pena ser vivida!

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

  

01
Out18

Quando tudo nos contraria!

Marta Leal

woman-2696408__340.jpg

 

#Quandotudonoscontraria

#Marta Leal

#amorpróprio

#desenvolvimentopessoal

 

- Por vezes sinto que está tudo contra mim!

- Tudo quem?

- Tudo! Toda a gente e até deus!

- Sempre?

- Sempre não, mas a maioria das vezes sim!

 

Continuámos a conversa a partir daqui. Estas frases foram ditas ainda nem sequer estávamos sentadas. Vinha esbaforida e dorida. Sentia-se que vinha dorida! E é isso que sentimos sempre que a vida nos contraria: doridos! Como se não existisse solução, como se não tivéssemos qualquer responsabilidade, como se o mundo estivesse todo contra nós. Contou-me tudo aquilo que lhe tinha acontecido com lágrimas nos olhos e coração partido. Contou-me o modo como a relação terminou, o acidente que teve logo a seguir e a discussão na empresa que a tinha deixado numa posição menos confortável.

 

E, de facto, existem momentos em que parece que o mundo se virou contra nós. Em que nada nos corre bem e em que tudo se desmorona.  A vida é feita de momentos bons e momentos menos de bons. A capacidade com que vais lidar com as situações é que faz toda a diferença. O modo como escolhes viver, a posição onde te vais colocar e a forma como lidas com os imprevistos podem fazer de ti uma vencedora ou uma vítima!

 

Sabes Maria é importante acreditarmos em algo. É importante teres uma causa à qual te dediques e um legado que gostasses de deixar. Quando isso acontece as agruras da vida não te derrubam porque sabes que desempenhas um papel muito maior do que há partida podias pensar.

 

Sacode o capote de tudo o que te aconteceu e foca-te naquilo que está para acontecer. Se pudesses fazer tudo na vida qual seria o primeiro passo que darias?

 

Sabes Maria para lá de toda as sombras que insistes ver existe um mar de luz que podes encontrar!

 

Faz da tua vida inspiração!

Marta Leal

Inspiração e Motivação

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • petra

    Muito boas as tuas dicas e conselhos,adorei a tua ...

  • petra

    Graças a esta publicação,eu concluí que sou uma pe...

  • petra

    Muitos parabéns pelo teu destaque,adorei ler esta ...

  • Mamã Gansa

    Tão real este post.Infelizmente tanta gente vive a...

  • Psicogata

    Dar uma opinião ou uma alternativa construtiva na ...

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D