Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Marta Leal

... aventuras e desventuras de uma eterna apaixonada pela vida, pela familia e pela profissão que desempenha ... Sou business e life coach, sou escritora, inspiradora e formadora.

Marta Leal

... aventuras e desventuras de uma eterna apaixonada pela vida, pela familia e pela profissão que desempenha ... Sou business e life coach, sou escritora, inspiradora e formadora.

O amor deve ser bipolar!

images (21).jpg

 

Perdemos-nos do amor quando nos perdemos de nós próprios impedindo-nos de ser felizes, realmente felizes. Mas quando falo de amor falo daquele amor puro e duro que nos faz sentir borboletas no estômago e as mãos a transpirar. Que nos faz pular da cama cedo e empreender em jornadas que pensadas seriam inimagináveis mas que vividas nos sabem tão, mas tão bem!

 

Falo do amor que nos faz sorrir sem razão e suspirar em momentos inesperados. Quando falo de amor refiro-me ao amor aquele que eu e tu tão bem conhecemos. Sim. Porque eu sei que também tu já amaste assim. Já te entregaste, já rasgaste as regras, e amachucaste os impedimentos apenas porque te permitiste amar. Sim, porque eu sei que também tu em um qualquer momento te permitiste a ser e a estar.

 

Falo do amor ao outro mas também falo do amor a ti. Ao que tu és e ao que tu sabes ser. Mas atenção falar de amor a ti nada tem a ver com egocentrismo e falar de amor ao outro nada tem a ver com dependência. Falo do amor verdadeiro aquele que te respeita como todas as letras e te mima independentemente do verso onde foi inserido.

 

Porque o verdadeiro amor meus caros é bipolar. Oscila entre a excitação do encontro e a serenidade do momento com o outro e connosco. Vive de uma agitação constante que se alimenta de um qualquer gesto, de um qualquer sorriso e de uma qualquer palavra. Suave, sempre muito suave!

 

Amar de forma morna é como beber café frio, tomar banho de água tépida e receber um abraço que nos faz sentir desconfortáveis.

 

Um amor morno não é um amor calmo mas um amor moribundo.

 

Marta Leal

 

 

 

 

Qualquer decisão que implique uma mudança de vida é extenuante

images (9).jpg

 

Qualquer decisão que implique uma mudança de vida é extenuante. Extenuante nas dúvidas e nas certezas, nos planos cheios de magia e nos pensamentos onde se resgatam experiências menos boas. Extenuante nas palavras que ouvimos dos outros e naquelas que em sussurro vamos escutando em nós. Extenuante num tempo que se recusa a ir e a voltar. Cansam-nos as justificações pedidas, os argumentos que nada valem e os medos dos outros que se transformam em nossos. Medos que se infiltram e  propagam como se de pragas se tratassem. 

 

Confundem-se os nossos  medos com os medos dos outros. Sim  porque também em nós reside o medo.  Faz parte. Ter medo do incerto faz parte de quem somos, da forma como vivemos e dos passos que nos atrevemos e permitimos dar. Também em nós existe o medo do falhar, da critica, da rejeição e da dor que tudo isso possa causar. Também de nós fazem parte as lágrimas que se juntam à incertezas conspurcadas pelas dúvidas. Fazem parte a ansiedade que nos causa nó no estômago provocando-nos um fastio pontual. Fazem parte os dias em que baixamos os braços e enrolados em nós mesmos dizemos muito baixinho que não aguentamos mais. Fazem parte os dias em que nos arrastamos apenas porque sim.

 

Mudar de vida é extenuante mas mais extenuante é ficarmos onde já não nos sentimos como parte. Ficar só faz sentido se o lugar onde estamos respira o mesmo ar que nós, vive os nossos sonhos e está tão entranhado na nossa pele que se confunde em nós de tão impregnado. Entre o ir e o ficar fica uma saudade intensa e uma quase pena do que poderia ter sido diferente. O tempo distância-nos do defeito e aproxima-nos do quase perfeito. Não deixa de ser interessante a forma como a mente nos atraiçoa quando o assunto é saudade!

 

 

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D